Este projeto  surge a partir de uma abordagem fotográfica sobre um conceito utópico. Entendido como uma realidade forçada a submergir para as profundezas do Oceano face ao esgotamento da superfície, após o consumo insustentável dos recursos terrestres, esta série de fotografias explora a insubordinação humana perante os seus erros e propõem uma provocação à apropriação rotineira do Homem. Se mudasses de território, aprenderias com os teus erros? Ou continuarias a transformar o espaço para teu benefício?

É a partir desta premisa que "Se eu morasse debaixo de água" propõe uma interpretação fotográfica do espaço real sobre traços estéticos impressionistas, confrontando práticas artísticas antigas e modernas a fim de criar um objeto que questione a realidade da própria superfície por ele representada. Os espaços representados nas fotografias partem do reflexo dos mesmos no plano do real, sendo que, o objeto de foco já se entende como uma representação do real.